Samba enredo Imperatriz Leopoldinense 2013 – Letra e Vídeo

Cristiano Meireles 27 de dezembro de 2012 0


Enredo: “Pará, o Muiraquitã do Brasil – Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da fantasia”

Autores: Me Leva – Gil Branco – Tião Pinheiro – Drummond – Maninho do Ponto
Intérprete: Dominguinhos do Estácio e Wander Pires

Raiou Cuara!
Oby aos olhos de quem vê!
Eu bato o pé no chão, é minha saudação,
Livre na pureza de viver!
Sopra no caminho das águas
O vento da ambição!
O índio, então…
Não se curvou diante a força da invasão,
E da cobiça fez-se a guerra,
Sangrando as riquezas dessa terra!
Cicatrizou, deixou herança,
E o que ficou está em cartaz…
Na passarela, “estado” de amor e paz!

Siriá… Carimbó… Marujada eu dancei!
No balanço da morena… Me apaixonei!
O bom tempero pro meu paladar…
De verde e branco “treme” o povo do Pará!

A arte que brota das mãos,
Dom da criação, vem da natureza…
Da juta trançada em meus versos
Se faz poesia de rara beleza!
Oh! Mãe… Senhora, sou teu romeiro,
A ti declamo em oração:
Oh! Mãe… Mesmo se um dia a força me faltar,
A luz que emana desse teu olhar
Vai me abençoar!

No Norte a estrela que vai me guiar,
Exemplo pro mundo: Pará!
O talismã do meu país,
A sorte da imperatriz!





Leave A Response »