Jogos Olímpicos – A vez do Rio e do Brasil

admin 13 de agosto de 2012 0


Os jogos Olímpicos de Londres foram um sucesso. Ao todo, 10.500 atletas, de 191 países e 13 territórios, participaram da competição. 4.700 medalhas foram disputadas, em 29 modalidades esportivas. O Brasil mandou para a competição mais de 250 atletas, e ganhou três medalhas de ouro, cinco de prata e nove bronzes. A competição, que foi iniciada no dia 27 de julho, encerrou nesse domingo, 12, em Londres, marcando oficialmente a transferência do evento para o Rio de Janeiro.

A festa de despedida dos jogos londrinos, marcada por muitos shows, também teve destaque pela transição. O céu de Londres, geralmente cinza devido as baixas temperaturas e a música pop, deu lugar, ao sol brasileiro e ao samba – marca registrada do nosso país e do Rio de Janeiro.

Mesmo faltando quatro anos para as próximas olimpíadas, a festa verde-amarela começou nesse domingo. Mais que um ato do rigoroso protocolo britânico, a entrega da bandeira olímpica ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, representou que os Jogos Olímpicos, a partir de agora, pertencem ao Brasil (com todo o peso que isso pode ter).

Uma prévia de 8 minutos, do que será visto no Brasil em 2016, foi demonstrado no estádio londrino: o samba no pé, representado pelo gari-sambista Renato Sorriso, o sincretismo religioso, na figura da cantora Marisa Monte vestida de Iemanjá, a mistura de culturas, explicitada numa dança indígena e na música “Maracatu Atômico”, cantada pelo rapper carioca BNegão.

O cantor Seu Jorge também fez parte da cerimônia, cantando “Nem vem que não tem”, uma das principais músicas do estilo “malandro” do samba carioca. Bem como a modelo Alessandra Ambrósio e passistas e capoeiristas. Todos dançando em cima do “Calçadão de Copacabana”. O rei Pelé deu boas-vindas a quem virá ao Rio de Janeiro em 2016, mostrando que o turista encontrará, além de uma Cidade Maravilhosa, samba, ginga e muito futebol.

Preparativos para 2016

A previsão é de que O Rio de Janeiro receba investimentos de R$ 23,23 bilhões em infraestrutura até 2016. Do total, R$ 11,835 bilhões serão aplicados independentemente dos Jogos Olímpicos, como os R$ 2,002 bilhões previstos para aplicação em portos e aeroportos na capital fluminense.

Do total que será investido em infraestrutura por causa dos Jogos Olímpicos, o setor público responderá por R$ 7,379 bilhões, com destaque para os R$ 2,141 bilhões em estradas e ferrovias, os R$ 890 milhões na gestão ambiental e os R$ 732 milhões em segurança. Já o setor privado entrará com R$ 4,018 bilhões, divididos em R$ 1,624 bilhão da Vila de Mídia, R$ 1,540 bilhão da infraestrutura de energia elétrica e R$ 854 milhões da Vila Olímpica.

As despesas totais previstas atingem R$ 28,85 bilhões, valor que engloba os R$ 11,835 bilhões que serão gastos em infraestrutura independentemente da Olimpíada e os gastos exclusivos para operacionalização dos Jogos, que somam R$ 5,627 bilhões. Os maiores gastos previstos na operacionalização são os R$ 975 milhões no setor de informações, telecomunicações e internet, os R$ 683 milhões com mão de obra e os R$ 635 milhões nas instalações esportivas, que depois dos jogos serão repassadas para as administrações federal, estadual ou municipal.

O Rio de Janeiro foi escolhido para sediar as Olimpíadas de 2016 em outubro de 2009, batendo Madri na rodada final, por 66 votos a 32. Com isso, o Brasil conquistou um sonho que começou em 1992 e que já custou mais de R$ 180 milhões só em candidaturas. Chicago e Tóquio também foram superadas pelos cariocas. Com a vitória, o Rio se torna a primeira cidade sul-americana a ser sede de uma Olimpíada.

 




Leave A Response »